Prefeitura de Porto Acre e Secretaria Municipal de Educação e Cultura-SEMEC. Nota de Apoio

Nesta nota, prestamos apoio à gestora da Escola Municipal Novo Horizonte, Professora Ivaneide Lima e Equipe, por ataques sofridos, através das redes sociais, em decorrência do trabalho sob nossa orientação. Estendemos o nosso pedido de mais respeito a cada servidor da Educação e prestamos esclarecimentos sobre as estratégias educacionais de minimização dos efeitos da pandemia na vida escolar de nossas crianças.



A Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SEMEC) do município de Porto Acre, vem a público manifestar apoio irrestrito à Professora Ivaneide Lima, gestora da Escola Novo Horizonte, localizada na Vila do Incra, diante dos ataques sofridos, através das redes sociais, por parte do segundo suplente de vereador, Juscelino Gomes.


Respeitamos a liberdade de expressão de todos, mas se tratando de alguém que se auto intitula “representante do povo”, faz-se necessário esta nota para a reposição da verdade e por RESPEITO à história da Professora Ivaneide Lima, com mais de 20 anos dedicados à Educação, sete dos quais como gestora comprometida com o ensino de mais de 500 crianças, estendendo o pedido de respeito a todos os trabalhadores em educação que também se sentiram ofendidos, para evitar que outros usem desse tipo de artifício rasteiro, com o intuito de obter visibilidade popular com finalidade eleitoreira, típico de aspirantes a autoridade, desprovidos de conteúdo e de proposta para a melhoria da comunidade. O único meio utilizado por pessoas assim é a crítica irresponsável e infundada para arrebanhar um punhado de seguidores desavisados.


Se o cidadão Juscelino Gomes, segundo suplente de vereador, tivesse uma real preocupação com os fatos narrados por ele, antes teria procurado a própria direção da escola ou a SEMEC. Seria bem atendido, como é habitual de quem trabalha em educação, e obteria os esclarecimentos necessários, como fazem os pais de alunos, a comunidade em geral, os vereadores titulares e outras pessoas que buscam informações educacionais. Isto demostra, claramente, o uso do ataque como subterfúgio para interesses outros que não os citados em seus vídeos e comentários.


Dos fatos

Tendo em vista o agravamento da pandemia causada pelo COVID-19 no Brasil, houve a necessidade da suspensão das aulas em todas as escolas do país. Sendo que, em Porto Acre, a suspensão das aulas está amparada por Decretos Municipais de autoria do Prefeito Bené Damasceno. Na data de hoje, 14/05, as aulas das escolas municipais já estão suspensas há 57 e não há previsão para retorno a curto prazo.


Diante desses fatos, especialistas e profissionais em Educação do país inteiro, juntamente com o Ministério da Educação, Secretarias Estaduais e Municipais de Educação, União dos Dirigentes Municipais de Educação do Acre-Undime-AC, dentre outras entidades, estão buscando maneiras para minimizar o impacto da suspensão das aulas para a vida estudantil de milhares de alunos.

O uso de apostilas para a realização de atividades em casa por estudantes, objetivando respeitar o isolamento social, que está sendo realizado pelas escolas municipais, sob orientação da Secretaria Municipal de Educação e Cultura-SEMEC, tem por base as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Educação, órgão máximo consultivo, deliberativo e de assessoramento do Ministério da Educação-MEC, conforme pode ser conferido no seguinte link: https://tinyurl.com/y8ohco29.


Entendemos que, de maneira nenhuma, as apostilas e as atividades orientadas para serem realizadas em casa pelos estudantes, com a supervisão dos pais e o acompanhamento a distância pelos professores, substituem as aulas presenciais. No entanto, temos a consciência que não estamos em período de férias, precisamos fazer algo para manter o desenvolvimento das habilidades básicas de leitura, escrita, operações matemáticas dentre outras, diariamente, com as crianças, além do vínculo com seus respectivos professores até que a situação se normalize.


Considerando que a maioria dos alunos do nosso município não possuem acesso à internet e a outros meios tecnológicos de comunicação e propagação de conteúdo, principalmente os residentes em áreas rurais, optamos pela produção e distribuição das apostilhas, por ser a alternativa de maior abrangência.


Destacamos que a Secretaria Municipal de Educação e Cultura-SEMEC, faz parte do Comitê Municipal de Combate ao COVID-19, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, Polícia Militar dentre outros órgãos da administração municipal e por isto, todas as nossas ações são voltadas ao combate da pandemia causada pelo Coronavírus. Por tanto, durante a entrega do material apostilado nas escolas, os pais e responsáveis são orientados a manter a distância necessária, uso de máscara e é oferecido álcool em gel para todos se protegerem. O tempo de entrega do material nas escolas municipais está sendo curto, menos de 2 minutos por conta de toda a organização do material e trabalho dos professores. Este tempo é menor do que as pessoas estão utilizando nas filas dos bancos, supermercados e em outros locais públicos. Todos os ambientes das escolas estão devidamente higienizados para este fim. Conclui-se que o risco de transmissão e contaminação, no momento em que os pais vão pegar a apostila para darem prosseguimento ao desenvolvimento educacional de seus filhos em casa, é menor do que em bancos e supermercados, para efeito de comparação.


Assim exposto, repudiamos a tentativa leviana do cidadão Juscelino Gomes e de qualquer outro que deseja macular os trabalhos das escolas, dos profissionais em educação e de toda a equipe da SEMEC, pois estamos buscando, conjuntamente, o melhor caminho para atender todas as crianças em idade escolar durante este difícil período de pandemia e tem havido muitos sacrifícios, que nem sempre chegam ao conhecimento da população. Rejeitamos ainda a ameaça do uso da força policial dentro do ambiente escolar, causando constrangimento à gestora da Escola Novo Horizonte, Professora Ivaneide Lima, aos coordenadores, professores e demais servidores que, durante todos esses anos de existência da escola, sempre cuidaram com zelo da aprendizagem e da integridade das centenas de alunos que lá estudam e estudaram, e não seria diferente neste momento.


Escola não é ambiente para repressão nem uso da violência. São pessoas conscientes que ali trabalham, são crianças que ali estudam. O uso da força policial deve ficar restrita a situações extremamente necessárias, que o suplente de vereador deveria sugestionar, e não para o distenso ambiente escolar. Alertamos que o arroubo em ameaçar chamar a polícia para a escola se deve mais à tentativa de demonstrar autoridade diante de um ambiente pacato do que, do real entendimento dos relevantes serviços prestados pela Polícia Militar, na tentativa de agradar sua pouca audiência, “seguidores”.


Citando a Polícia Militar de forma errônea, o detrator instiga e insinua, irresponsavelmente, a mistura de violência com educação. No entanto, a educação é parceira da Segurança Pública e trabalha para que, cada dia seja menor a necessidade do uso da força policial em nossa comunidade. Portanto, manifestamos o nosso respeito, reconhecimento e agradecimento ao trabalho e a parceria da Polícia Militar, através da 1ª Cia de Porto Acre, em nome de seu Comandante Tenente Brandão, com relevantes serviços prestados à comunidade e a nítida redução da violência.


Por fim, todos sabem que, para trabalhar em nossas escolas, por exemplo, muitos passam anos estudando para adquirirem um diploma que os habilitem ao exercício da função, realizam concursos públicos ou processos seletivos para iniciar suas carreiras que, infelizmente, ainda é comum os baixos salários, incoerente com a grande responsabilidade de ensinar. Mas, o suplente de vereador parece desconhecer a carreira e a responsabilidade dos professores e demais funcionários da educação, e teve a “sorte” de exercer o mandato de vereador por 02 meses, e participar neste período de somente 03 (três) sessões de aproximadamente 2 horas de duração cada (06 horas de trabalho total), ganhando o equivalente a 4,5 vezes a mais do que ganha um professor em início de carreira no município, ou seja, o mesmo recebeu QUASE R$ 7 mil reais em epenas 03 dias de sessão que compareceu. Sabemos que essa situação é atípica, em decorrência da pandemia, pois em geral a Câmara de Vereadores de Porto Acre exerce um trabalho fundamental para a nossa democracia e para o nosso município, como Poder Legislativo, tendo a maioria dos vereadores titulares apresentado relevantes contribuições em várias áreas do município e, principalmente como parceiros da educação.


Comparando a situação, um professor que trabalhou apenas 6 horas como o suplente de vereador em 03 sessões, receberia no máximo 120 reais, muito abaixo dos quase R$ 7 mil reais embolsados pelo nobre. Talvez fosse justo que essa diferença de valor recebido sem trabalhar pelo suplente de vereador, pudesse ser transformada em sacolões para quem não pode trabalhar neste momento por conta da pandemia e está passando necessidades com a família, o que confirmaria a sinceridade do mesmo em sua preocupação, ao atacar a escola através de vídeos e comentários, o que daria mais de 100 (cem) sacolões no valor de R$ 60 reais cada, atendendo a 100 famílias necessitadas.

Concluímos nos colocando a inteira disposição de todos para quaisquer esclarecimentos. Reiteramos a importância de termos como representantes do povo cidadãos que demonstrem respeito, principalmente por aqueles que se dedicam, diariamente, à construção de dias melhores, através do ensino às nossas crianças. Deixamos o nosso fraterno abraço à Professora Ivaneide Lima e a todos os professores e demais servidores da Escola Novo Horizonte e a todas as nossas escolas estaduais e municipais, parabenizando-os pela incansável tentativa de continuarem ensinando, mesmo com todas as adversidades que a distância e a atual situação nos impõem. Precisamos nos adaptar e iremos buscar fazer o melhor sempre.


Na educação somamos forças e multiplicamos solidariedade. Não há ninguém sozinho, pois todos representamos o que a humanidade tem de melhor: a vocação para ensinar o conhecimento às futuras gerações. Portanto, o ataque a um é o ataque a todos, e todos nos defenderemos unidos

.

“O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele”. Immanuel Kant